Join our Mailing List
  E-mail address:
  • North America Vietnamese Wake Up Tour 2015

    Last year, seven Plum Village monastics successfully went on the road to reach Vietnamese youth in North America. They'd like to make this happen again in 2015.
    Please support the fundraising campaign here.

  • Upgrading the Mindfulness Bell Magazine

    Your support will help us to make sure the Mindfulness Bell is accessible to Sangha members around the world – online and in print – as a medium to sustain our community’s essence of brotherhood and sisterhood, and to nourish each other on the path of practice. Read more >>

Follow Us

 
Você está aqui: Entrada Prática & Tradição Corpo da Sangha

Corpo da Sangha

A Sangha é meus cinco skandhas brilhando perto, brilhando longe.

Deer Park on a Stump in Yosemite Valley

Todos que vêm para a prática são membros da sangha. Mesmo se viermos para Plum Village por apenas uma semana, nossa presença pode contribuir para a vitalidade e harmonia da sangha.

 

Na sociedade, muito do nosso sofrimento vem do sentimento de estarmos desconectados dos outros. Frequentemente não sentimos uma conexão real com as pessoas que vivem perto de nós, tais como nossos vizinhos, nossos colegas no trabalho e mesmo os membros de nossa família. Cada pessoa vive separadamente, sem o apoio da comunidade. Estar com a Sangha pode curar estes sentimentos de isolamento e separação. Praticamos juntos, dividimos o quarto, comemos lado a lado e limpamos as tijelas juntos. Apenas por participar com outros praticantes das atividades diárias podemos expressar um sentimento tangível de amor e aceitação.

 

Thay frequentemente diz que a sangha é um jardim, cheio de muitas variedades de árvores e flores. Quando pudermos olhar para nós mesmos e para os outros como lindas e únicas flores e árvores, poderemos verdadeiramente crescer para entender e amar aos outros. Uma flor pode brotar cedo na primavera e outra flor pode brotar tarde no verão. Uma árvore pode dar muitos frutos e outra pode oferecer sombra fresca. Nenhuma planta é maior ou menor ou igual a outra planta no jardim. Cada membro da sangha também tem dons únicos para oferecer à comunidade. Todos temos áreas que precisam de atenção também. Quando pudermos apreciar a contribuição de cada membro e ver nossas fraquezas como potencial para crescimento, poderemos aprender a viver juntos em harmonia. Nossa prática é ver que somos uma flor ou uma árvore, e somos o jardim inteiro também, todos interconectados.