Você está aqui: Entrada Prática & Tradição Meditação do Abraço

Meditação do Abraço

"Querida, você é preciosa para mim. Me desculpe, eu não tenho sido plenamente consciente e atencioso. Eu tenho cometido erros. Me permita começar de novo. Eu prometo."

Quando abraçamos, nossos corações se conectam e sabemos que não somos seres separados. Abraçar com plena consciência e concentração pode trazer reconciliação, cura, entendimento e muita felicidade. A prática do abraço consciente tem ajudado muitos a se reconcilarem com os outros - pais e filhos, mães e filhas, amigos, e muitos outros. Podemos praticar a meditação do abraço com um amigo, nossa filha, nosso pai, nosso companheiro ou mesmo com uma árvore. Para praticar, primeiramente reverenciamos e reconhecemos a presença do outro. Então podemos desfrutar de três respirações conscientes para nos trazer totalmente para o momento. Podemos então abrir nossos braços e começar a abraçar. Nos tocamos por três ou quatro respirações. Com a primeira respiração, estamos conscientes que estamos presentes nesse exato momento e estamos felizes. Com a segunda respiração, estamos conscientes que o outro está presente neste momento e também estamos felizes. Com a terceira respiração, estamos conscientes que estamos aqui juntos, exatamente agora nesta terra, e sentimos gratidão e felicidade por estarmos juntos. Podemos então poderemos liberar a outra pessoa e nos reverenciarmos para mostrar nosso agradecimento.

 

Quando nos abraçamos dessa maneira, a outra pessoa se torna real e viva. Não precisamos esperar até que um de nós esteja pronto para viajar, podemos abraçar exatamente agora e receber o calor e estabilidade do nosso amigo no momento presente. Abraçar pode ser uma prática profunda de reconciliação. Durante o abraço silencioso, uma mensagem pode surgir muito claramente: "Querida, você é preciosa para mim. Me desculpe, eu não tenho sido plenamente consciente e atencioso. Eu tenho cometido erros. Me permita começar de novo. Eu prometo."